06 janeiro 2012

ORAÇÃO PELA HUMANIDADE

ORAÇÃO PELA HUMANIDADE:

a paz na terra

Deus, nosso Pai misericordioso e bom!
Diante das sombras que se espalham sobre o nosso planeta, desejamos rogar a sua ajuda, como jamais o fizemos antes.
Sabemos que o Senhor é onisciente e sabe tudo o que acontece neste minúsculo grão de areia que chamamos Terra, mas desejamos externar a nossa singela oração.
Senhor, muitos dos seus filhos se esqueceram que são filhos da luz e se obstinam em disseminar trevas por onde passam.
Alguns homens perderam a fé na vida, perderam a fé no Senhor..., e se perderam...
Outros pensam que a terra está à beira do caos e que o Senhor, que acende as estrelas e faz girar os astros, abandonou a humanidade terrestre.
Compadeça-se das nossas misérias morais e abençoe-nos...
Releve a nossa ignorância, tolere a nossa ingratidão e perdoe a nossa falta de fé.
Esquecidos de que em essência somos luz, Senhor, permitimos que as sombras nos cubram a visão e nos infelicitem.
Há tanta falta de luz no mundo, Senhor...
Enquanto o amor se esgueira, tímido, a violência se mostra em plena luz do dia, sem disfarce...
Até parece, Senhor, que muitos dos seus filhos enlouqueceram...
Acreditando-se Senhores da terra e dos seus irmãos em humanidade...
Há homens que esqueceram os verdadeiros valores do espírito e penhoram seu patrimônio moral em troca de dinheiro, como se o dinheiro fosse a única coisa que importa...
Alguns até agem como se o dinheiro fosse seu único e poderoso Deus...
Sabemos, Senhor, que o homem é o único ser capaz de reconhecer a sua soberania, mas às vezes dá a impressão de que os animais são mais dóceis e executam de maneira mais eficiente as tarefas que lhes cabem na sua obra.

Senhor, por tudo isso queremos lhe rogar: ajude-nos a construir um mundo melhor, de onde a guerra seja banida de vez por todas...
Um mundo onde o ser humano seja mais valorizado do que algumas notas de dinheiro...
Um mundo onde o ser humano seja mais importante do que um cargo, do que um pedaço de chão, do que um papelote de drogas, do que outro interesse qualquer.
Eis a nossa rogativa, Senhor.
Ajude-nos a enxergar um pouco além dos nossos próprios interesses para construir a paz tão almejada e tão pouco buscada de verdade...
Ajude-nos a retirar dos olhos a venda da vaidade, que nos impede de enxergar as nossas deformidades morais e nossa pequenez diante da sua grandeza.
Ajude-nos a romper essa concha de egoísmo que nos paralisa as mãos e nos impede de estender os braços para ajudar nossos irmãos.
Ajude-nos a diluir essa máscara de prepotência para que possamos entender que nada somos sem o seu amor...
Ajude-nos, Senhor, a elevar o olhar acima da própria estatura, para
vislumbrar o horizonte e caminhar em sua direção.
Ajude-nos a abrir mão da auto-piedade e lançar o olhar em redor... Descobrir
nosso próximo e nos aproximar dele...
Ensine-nos, Pai, a construir pontes de entendimento, a estreitar laços de
amizade, a entender o semelhante, a amar...
Ajude-nos, Senhor, a admitir a própria fragilidade...
A livrar-nos da arrogância...
A construir jardins...
A espalhar perfume...
A enxugar lágrimas...
A caminhar com coragem...
A acreditar na vida e no seu incondicional amor...
A disseminar esperança...
A sorrir sempre...
A perdoar sem condições...
E, por fim, Senhor, ajude-nos a voltar nosso olhar para as estrelas, mesmo
que nossos pés ainda se achem encharcados de lama.
Que assim possa ser, Senhor!
Texto da Equipe de Redação do "Momento Espírita".