26 fevereiro 2011

Tenho no arquivo este email...repassando



Do turco yoghurt. O iogurte é um produto lácteo fresco, obtido pela fermentação do leite com cultivos pró-simbióticos. Espécie de coalhada feita de leite fervido, por meio de fermentos especiais, lactobacilos vivos (Lactobacillus bulgaricus e Lactobacillus yoghurt), muito usada no Oriente (Bulgária e Turquia) e hoje disseminada em todo o mundo.

Indicação:
Ulceras do estômago e duodeno, flatulência (gases), fermentação intestinal, gastrite, colite, prisão de ventre, diarréia de qualquer natureza. Contribui para o bem estar geral de qualquer pessoa, por isso é considerado "o elixir da longa vida". E um alimento e um poderoso restaurador das energias do organismo debilitado, deve ser usado sem nenhuma mistura (sem os pedacinhos de qualquer tipo de fruta). A mistura com as frutas (todas elas acrescidas de açúcar) destrói a virtude original, os valores principais do iogurte natural.

Historia:
O iogurte propriamente dito só foi conhecido na Europa em meados do século XVI, por volta de 1542, proveniente do Império otomano, aonde teria chegado a partir da Ásia. A própria palavra iogurte tem etimologia turca que provém da palavra
yoghurma que tem o significado "engrossar". Atribuíam-se ao iogurte poderes excepcionais, mas, apesar desta auréola de
alimento revitalizador, com virtudes quase semelhantes às dos elixires da juventude, o produto não era muito consumido devido a repulsa que o sabor provocava.
Na antiguidade o iogurte foi considerado medicinal, pois é de fácil digestão e benéfica para a flora intestinal; as proteínas do leite, que têm um alto valor biológico, são parcialmente pré-digeridas por ação das bactérias lácticas, o que permite uma melhor digestão e também a acidez do iogurte confere uma proteção natural contra as infecções, manifestando-se a inibição de diferentes tipos de bactérias patogênicas no iogurte. Por outro lado, o acido láctico dissolve o cálcio presente no iogurte e favorece a sua assimilação.
No século XX foi registrado alto consumo de iogurte na Europa, mais especificamente, entre gregos e georgianos.
No Brasil o consumo só pode ser considerado significativo depois de 1970, não existem muitos relatos antes desta data.
Na atualidade o maior consumo de iogurte é na Ásia e Europa Central, e a Bulgária é o país de maior consumo per capita.
 
A Receita do Iogurte I (mais barato):
1º - Adquira um potinho do produto natural (iogurte natural somente).
2º - Num litro de leite comum tipo C, junte duas colheres de leite em pó.
Coloque para ferver em fogo brando. Quando a temperatura estiver aproximadamente a 40 a 43 graus (que a mão possa ainda suportar - ou meça com um termometro culinario), desligue o fogo e acrescente 4 colheres de sopa de iogurte para cada
copo de leite, diluindo-se bem.
3° - Depois de bem misturado, tampa-se bem, envolvendo o recipiente da mistura num cobertor de lã dobrado várias vezes. Pode-se colocar o recepiente com a manta dentro do forno de cozinha desligado (porque e um lugar seco e livre de
bruscas temperaturas).
Deixar repousar por 4 a 6 horas, quando o leite estará coalhado.
O iogurte está pronto, e poderá ser guardado por mais de uma semana.
Guarde parte desse iogurte para fazer o próximo.

A Receita do Iogurte II:
1º - Você pode comprar os lactobacilos do iogurte que e vendido em saquinhos. Procure em casas de produtos naturais, de ervas ou em farmacias homeopaticas.
2º - Ferver o leite tipo B (após ficar morno - 40 a 43 graus - coloque os lactobacilos e mexa bem). O leite morno age mais rápido. E é fervido antes para uma maior higienização. Quantidade: de 1 a 3,6 litros.
4º - Após 6 a 8 horas, fica cremoso, pode coar; mexa um pouco para coar melhor.
5º - Após coar o iogurte, vão ficar na peneira os lactobacilos; lavar em água corrente - pode tirar uma parte fora para não haver excesso. Estes podem ser colocados em outra porção de leite e assim dar continuidade na formação de mais iogurte.