01 janeiro 2011

Minha professora Albertina me enviou


O tempo é feito para os homens, conforme a nossa percepção de dias, estações, mas no espaço infinito é contado de maneira diferente.

O nosso tempo é o agora, fazendo o nosso melhor, não esperar a felicidade que vem de fora, pois ela é uma busca interior, através do auto-conhecimento, do auto-perdão, perdoar os outros, porque assim como não somos perfeitos, o outro também não é, erramos, assim como ele erra,  a auto-aceitação, o auto-amor, em perceber o que se é, o que estamos fazendo aqui, qual a finalidade do existir!

Somos espíritos imortais a caminho da luz, da plenitude, quando interiorizarmos
 tudo isso, com certeza estaremos compreendendo que somos ainda, imperfeitos, mas perfectíveis,  com pontecialidades a desenvolver ao infinito, e que somos filhos do Senhor da Vida, herdeiros de Deus, herdeiros do universo.


Albertina